VANGUARDA NOTÍCIAS

Atlético já recebeu parte do valor penhorado da venda de Pratto

Por Sergio Santos | 16/02/2017 17:50

A justiça do Rio Grande do Sul decidiu que o São Paulo precisa mandar metade do valor da transferência de Lucas Pratto para uma conta, que será encaminhado ao Grêmio. Porém, uma situação modificou o cenário. O Atlético já recebeu grande parte do valor da negociação referente aos 50% do argentino, antes da penhora das suas contas, o que inviabiliza o bloqueio.

O São Paulo informou à Justiça que repassou mais de R$ 13 milhões dos R$ 20,5 milhões referentes a venda de 50% de Lucas Pratto à vista ao Galo. O restante da quantia chegará ao Atlético no meio desta temporada, totalizando o valor da venda.

Inclusive, o Atlético já se "desfez" de parte da quantia recebida. O clube repassou a porcentagem destinada ao Vélez, que detém 20% do lucro da negociação de Lucas Pratto, o que modifica ainda mais o cenário da penhora da negociação.

O repasse do São Paulo à diretoria do Atlético aconteceu na última segunda-feira, primeiro dia útil após a confirmação da venda de Pratto ao Tricolor. Este valor serviu como uma das garantias para que o acordo fosse formalizado pelos clubes.

A direção do time paulista acertou pagar o restante do valor acordado pela compra dos 50% de Pratto, cerca de R$ 7 milhões em julho, quando terá recebido toda a quantia da negociação de David Neres com o futebol da Holanda.

Desta forma, a penhora da quantia terá de envolver apenas o Atlético. A justiça do Rio Grande do Sul terá de acionar o Galo a repassar o valor para o Grêmio. Esta situação, porém, deverá atrasar o recebimento dos R$ 10,5 milhões previsto pelo time gaúcho referente à dívida atleticana pela contratação do goleiro Victor.

O departamento jurídico do Grêmio aguarda a confirmação da informação e caso aconteça, irá esperar as duas próximas parcelas do pagamento do São Paulo ao Atlético, para penhorar este valor e abater a dívida por Victor.

Entenda o caso

Na terça-feira o Grêmio acionou a justiça do Rio Grande do Sul e conseguiu o bloqueio referente a R$ 10,5 milhões da venda de Lucas Pratto ao São Paulo, para quitar a dívida do Atlético com o time gaúcho pela compra do goleiro Victor, em 2012.

Para evitar a penhora das suas contas e receber o valor total, o Atlético já possui até um plano de ação. O clube poderá oferecer como garantia o clube Labareda que, de acordo com o Galo, está avaliado em R$ 40 milhões, valor superior a dívida cobrada pelo Grêmio pela contratação de Victor.

O departamento jurídico atleticano crê não ter motivos para colocar o dinheiro da transação em penhora, sendo que o clube conta com bens que podem ser deixados como garantia. Desta forma, o Atlético crê que conseguirá recuperar os R$ 10,5 milhões que serão repassados para a justiça gaúcha e encaminhados ao Grêmio.

Nesta quarta-feira, o juiz da 17ª Vara Cível de Porto Alegre, Mauro Caum Gonçalves, soltou despacho deferindo o pedido do Tricolor de penhora das contas do clube mineiro.

O Grêmio ainda promete ir à CBF para tentar que o Atlético seja impedido de realizar transações no futebol, sem poder comprar ou vender jogadores, por até dois anos. Os gaúchos baseiam-se ao regulamento Nacional de Registros e Transferência de Atletas de Futebol (RNRTAF), em seu artigo 67, § 3º, alínea d, para pedir a punição esportiva ao Atlético.


Fonte: O Tempo